História do Sporting Clube da Covilhã
Tiago Martins
Terça, 23 Outubro 2018 00:00

Tiago Martins completou os escalões de formação no Moreirense, onde ascendeu a sénior e jogou durante várias épocas na principal equipa cónega, na altura a militar na 2ª Divisão B. Tiago Martins rumou depois ao Amarante FC e ao FC Vizela, antes de ser apresentado como reforço do Sporting da Covilhã para a temporada 2013/2014. Na única época em que Tiago Martins envergou a camisola serrana assumiu-se como referência no meio campo, tendo disputado 51 jogos oficiais, entre Segunda Liga, Taça de Portugal e Taça da Liga, nos quais apontou um golo (numa eliminatória da prova rainha com o Leixões). Apesar da boa temporada realizada com as nossas cores, Tiago Martins regressou ao norte do país para jogar no FC Vizela, representando posteriormente Trofense e Brito SC, mas novamente com a formação vizelense pelo meio. Que memórias permanecem das actuações de Tiago Martins com o emblema serrano?

 

Actualizado em Terça, 23 Outubro 2018 08:51
 
AD Os Limianos 0 SC Covilhã 2
Domingo, 21 Outubro 2018 00:00

Para estreia do treinador Filó ao serviço do Sporting Clube da Covilhã estava reservado um jogo inédito na história do futebol português, com a deslocação ao terreno da Associação Desportiva Os Limianos, onde o emblema covilhanense assegurou a passagem à próxima eliminatória da Taça de Portugal ao vencer por 0-2, numa partida marcada pela homenagem póstuma a Toninho, antigo jogador dos dois clubes.

O onze serrano apresentou-se no Campo do Cruzeiro com Vítor São Bento na baliza, acompanhado na defensiva por Gilberto, Jaime Simões, Rafael Vieira e Henrique Gomes, com o meio campo ocupado por Rodrigues, Caio Quiroga e Makouta, ficando o ataque entregue a Adriano Castanheira, Rick Sena e Deivison. A equipa visitante teve um arranque forte no encontro e inaugurou o marcador logo aos 7 minutos, quando Deivison isolou Adriano diante do guardião Bruno Santos, com o extremo covilhanense a assinar um bom trabalho e atirar para golo. O conjunto de Ponte de Lima tentou contrariar a supremacia adversária, mas sem qualquer sucesso, sofrendo mesmo o segundo tento aos 19 minutos por intermédio do francês Makouta, que rematou em arco após um passe de Adriano. E o resultado só não ficou mais volumoso aos 34 minutos porque Bruno Santos esteve em grande plano, ao defender com o pé um remate rasteiro de Rick Sena. Até ao tempo de descanso, o jogo esteve sempre controlado pelo Covilhã, apesar do esforço dos locais para não ficarem mais afastados no "placard". Ao intervalo: 0-2. Seguiu-se o momento de homenagem ao falecido Toninho, com os presidentes dos dois emblemas a oferecerem recordações à família do antigo jogador.

Na segunda parte, o Limianos conseguiu actuar mais tempo no meio campo contrário e aproximou-se com maior frequência da baliza forasteira, no entanto, sem construir um lance de verdadeiro perigo, visto que a defensiva serrana não facilitou e revelou-se coesa. Os comandados de Filó não estiveram apenas preocupados em defender e procuraram aumentar a contagem em jogadas de contra ataque, como aconteceu aos 59 minutos, em que o remate cruzado de Rick Sena passou perto das redes minhotas. Foi necessário aguardar pelo minuto 72 para o guarda-redes São Bento ser chamado a trabalhos mais sérios, quando afastou com dificuldade a iniciativa rematadora de Cláudio Dantas, num lance que animou os adeptos do clube da Série A do Campeonato de Portugal. Com o relógio a caminhar para os 90 minutos, os serranos tiveram duas ocasiões para novos festejos, porém, quer Adriano, quer Onyeka, atiraram por cima da baliza local quando estavam em boa posição para terem êxito. O derradeiro apito do árbitro Gustavo Correia selou a passagem do Sporting da Covilhã à 4ª eliminatória da Taça de Portugal, mas no próximo sábado regressa o campeonato, tendo pela frente uma deslocação ao terreno da equipa B do SL Benfica.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografia: Eugénio Lopes.

Actualizado em Segunda, 22 Outubro 2018 09:11
 
Julinho
Terça, 16 Outubro 2018 00:00

Júlio Sérgio Dibiase, mais conhecido por Julinho, nasceu em São Paulo (Brasil) a 19 de Setembro de 1953. Iniciou a sua carreira nas camadas jovens do Flamengo, onde foi campeão júnior, um êxito que voltou a saborear na equipa principal do emblema rubro-negro em 1974, juntamente com o famoso Zico. Em 1976, Julinho transferiu-se para o Atlético Mineiro, em que foi campeão estadual, passando depois pela Venezuela, onde jogou pelo Clube Deportivo Portugués. Regressado ao Brasil, e quando estava na Associação Desportiva Niterói, Julinho recebeu um convite do treinador José Domingos para ingressar no Sporting da Covilhã, onde permaneceu apenas na época 1980/1981, na qual foi considerado o melhor jogador da época e marcador da equipa. Julinho era um extremo esquerdo que espalhava magia com os seus dribles, aparecendo muitas vezes como finalizador. Realizou no clube serrano 25 jogos e marcou oito golos no campeonato, enquanto na Taça de Portugal efectuou três jogos. Na época seguinte assinou pelo União de Coimbra, regressando depois ao Brasil. Que recordações ficaram das exibições de Julinho?

Actualizado em Terça, 16 Outubro 2018 08:43
 
Mário Jorge Figueira
Terça, 09 Outubro 2018 00:00

Mário Jorge Figueira terminou o percurso formativo nos juniores do Recreio de Águeda, estreando-se no patamar sénior no ADCR Oiã, um emblema com presença habitual no campeonato distrital da Associação de Futebol de Aveiro. A chegada de Mário Jorge ao Sporting da Covilhã verificou-se através da Universidade da Beira Interior e teve lugar na época 1994/1995, com o nosso clube a disputar a Série C da 3ª Divisão Nacional. Mário Jorge jogava preferencialmente a meio campo, tendo participado em 15 encontros oficiais com a camisola serrana, nos quais apontou um golo (no empate 2-2 com o Mealhada no Estádio José Santos Pinto), contribuindo assim para a subida do conjunto covilhanense à 2ª Divisão B, em virtude do 2º lugar alcançado no final do campeonato. Na temporada seguinte, Mário Jorge regressou à sua região de origem para prosseguir a carreira por vários clubes, concretamente, ADCR Oiã, Recreio de Águeda, LAAC e AD Valonguense. Que lembranças permanecem de Mário Jorge na formação serrana?

Actualizado em Terça, 09 Outubro 2018 08:41
 
SC Covilhã 0 FC Penafiel 0
Sábado, 06 Outubro 2018 00:00

Rick Sena pressionado por Luís Dias

O Sporting Clube da Covilhã elevou para quatro o número de jogos consecutivos sem conseguir vencer na Ledman LigaPro, embora nesta jornada tenha alcançado um ponto, resultante do nulo registado na recepção ao Futebol Clube de Penafiel, isto, numa partida sem demasiados motivos de interesse.

O conjunto covilhanense apresentou-se em campo com Vítor São Bento na baliza, acompanhado na defensiva por Gilberto, Jaime Simões, João Cunha e Henrique Gomes, com o meio campo ocupado por Rafael Vieira, Caio Quiroga e Makouta, ficando o ataque entregue a Adriano Castanheira, Rick Sena e Onyeka. A fase inicial da partida revelou uma formação forasteira com uma postura mais atacante, assumindo a maior parte das iniciativas de jogo, porém, sem conseguir elaborar lances de perigo junto das redes locais, visto que a defensiva serrana demonstrou sempre muita atenção. Do lado dos comandados de Dito, o foco estava ligado para as acções de contra ataque, como aconteceu aos 11 minutos, em que Adriano tentou surpreender o guardião José Costa com um remate inesperado. Depois de tanto procurar a área contrária, somente aos 26 minutos é que o Penafiel assinou uma jogada digna de registo, pois, Ludovic surgiu em boa posição e atirou para uma intervenção eficaz do guarda-redes São Bento. Os momentos finais da primeira parte foram mais movimentados e a emoção cresceu, com Rick Sena a rematar para uma grande defesa de José Costa, respondendo o experiente Pires com um desvio contra um defensor local na pequena área.

Makouta procura escapar a Tiago Ronaldo

Na etapa complementar, o Covilhã teve uma forte entrada e ameaçou inaugurar o marcador logo aos 46 minutos, quando o remate de Makouta sofreu um desvio num defesa penafidelense e foi directo ao poste da baliza visitante. Volvidos alguns minutos, os serranos voltaram a criar perigo, agora com Rick Sena a acertar nas malhas laterais após um cruzamento de Makouta. A pouco e pouco, o Penafiel equilibrou a partida, no entanto, foi novamente o emblema covilhanense a estar perto do golo aos 67 minutos, quando na sequência de uma jogada confusa, a bola sobrou para Onyeka rematar para boa intervenção de José Costa. Com as substituições operadas pelo treinador Armando Evangelista, os penafidelenses voltaram a tomar conta do encontro e a redonda passou a rondar mais a baliza anfitriã, como num remate ao lado rubricado por Vasco Braga e num cabeceamento por alto de Luís Pedro. A derradeira tentativa dos visitantes conquistarem os três pontos aconteceu aos 88 minutos, com Yuri a atirar de longe para defesa segura de São Bento, que assim garantiu o 0-0 como resultado final, selado com o último apito do árbitro Manuel Mota. Com esta igualdade, o Sporting da Covilhã permanece na zona baixa da tabela classificativa, somando apenas um ponto nas derradeiras quatro jornadas, resultante de um empate e três derrotas, desejando-se que possa vencer quando regressar o campeonato, que vai estar parado nos próximos dois fins de semana.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20182019/ledmanligapro/6/3

Actualizado em Segunda, 08 Outubro 2018 08:57
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 1 de 160
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1520485