História do Sporting Clube da Covilhã
Rúben Trigo
Terça, 15 Outubro 2019 00:00

Rúben Trigo iniciou a actividade futebolística no FC Avintes, onde assumiu papel de destaque ao ponto de rumar aos iniciados do FC Porto, cumprindo no emblema azul e branco os restantes escalões de formação, tendo ainda actuado uma época na equipa B. Rúben envergou depois a camisola de Vilanovense FC, CD Alcains, Benfica e Castelo Branco, Sertanense, Lusitânia dos Açores, SC Praiense e SC Penalva do Castelo, antes de assinar pelo Sporting da Covilhã para a temporada 2008/2009. Rúben jogava preferencialmente a defesa direito e começou a época a titular das cores serranas na 2ª Liga, mas depois foi perdendo o seu espaço no onze e regressou ao conjunto penalvense a meio da temporada. A carreira de Rúben prosseguiu por diversos emblemas, concretamente, Académico de Viseu, nova passagem pelo Praiense, Marítimos São Mateus, SC Vilanovense, Boavista da Ribeirinha e Juventude Lajense. Que memórias ficaram de Rúben com a camisola serrana?

Actualizado em Terça, 15 Outubro 2019 08:41
 
Abdoulaye Ba
Terça, 08 Outubro 2019 00:00

O senegalês Abdoulaye Ba chegou ao futebol português para representar os juniores do FC Porto, onde apresentou logo todas as suas qualidades no centro da defesa, sendo emprestado ao Sporting da Covilhã na sua primeira época (2010/2011) como sénior. Com as cores covilhanenses, Abdoulaye esteve em destaque não só na missão defensiva, mas também em lances de ataque e na cobrança de grandes penalidades, visto que apontou nove golos nos 28 jogos oficiais em que envergou a nossa camisola, ajudando a que a manutenção na 2ª Liga fosse uma realidade. Abdoulaye rumou na temporada seguinte à Académica de Coimbra, onde conquistou a Taça de Portugal, antes de regressar ao FC Porto, no qual se sagrou Campeão Nacional, jogando depois no Vitória de Guimarães. Abdoulaye tem prosseguido a carreira por diversos países, em concreto, na Turquia (Fenerbahçe e Alanyaspor), Alemanha (Munique 1860) e Espanha (Rayo Vallecano), sendo um jogador com experiência nas competições europeias e internacional AA pelo Senegal, destacando-se a presença com a selecção da sua nação nos Jogos Olímpicos Londres 2012. Que recordações existem de Abdoulaye no emblema covilhanense?


Actualizado em Terça, 08 Outubro 2019 08:51
 
SC Covilhã 1 Vitória FC Setúbal 1
Sábado, 05 Outubro 2019 00:00

Rodrigo António pressiona o meio campo vitoriano

O Sporting Clube da Covilhã empatou a uma bola com o Vitória Futebol Clube de Setúbal, em jogo a contar para a 1ª jornada do Grupo B da Taça da Liga, com o ponto serrano a ser garantido aos 90+2 minutos através de um cabeceamento de Silva, provocando visíveis festejos no muito público presente no Estádio José Santos Pinto.

O onze serrano apresentou-se em campo com Carlos Henriques na baliza, acompanhado na defensiva por Tiago Moreira, Brendon, Zarabi e Daniel Martins, estando o meio campo entregue a Rodrigo António, Adriano Castanheira, Mica e Jean Batista, ficando a frente de ataque sob a responsabilidade de Kukula e Bonani. A primeira parte não foi muito emocionante, embora apresentando uma formação local a actuar mais tempo no meio campo contrário e conseguindo um lance perigoso aos 18 minutos, quando um cabeceamento cruzado de Kukula passou perto da baliza vitoriana. Aos 32 minutos ainda se gritou golo no estádio serrano, só que o remate certeiro de Adriano já estava anulado pela arbitragem chefiada por Gustavo Correia devido a fora de jogo do extremo covilhanense. Quem festejou a sério foram os cerca de 200 adeptos setubalenses aos 35 minutos, visto que o cruzamento de Hildeberto foi desviado para a própria baliza por Tiago Moreira, que procurava evitar o toque triunfal de Hachadi. Os comandados de Ricardo Soares tentaram reagir à desvantagem no marcador, mas somente um remate de Jean Batista aos 45 minutos causou alguma esperança no empate, contudo, esbarrou na defensiva visitante. Ao intervalo: 0-1.

Kukula remata à baliza sadina

O segundo tempo foi um pouco mais movimentado, com o Vitória a ameaçar aumentar a contagem aos 54 minutos, no entanto, o argentino Mansilla atirou ao lado diante do guardião Carlos Henriques. Os serranos revelavam maiores dificuldades em assumir o jogo e os forasteiros estavam mais rematadores, contudo o guarda-redes local apresentou segurança a travar as bolas setubalenses. Já o Covilhã, foi aproveitando os livres laterais apontados por Daniel Martins para incomodar a defensiva adversária, merecendo destaque o cabeceamento de Kukula aos 78 minutos, em que a redonda ficou perto de entrar nas redes de Makaridze. No minuto seguinte foi o Vitória que perturbou a defesa serrana, com Carlos Henriques a anular o contra ataque em que Ghilas queria ser protagonista. Até que num derradeiro esforço covilhanense, o empate apareceu como prémio para quem tanto trabalhou, pois aos 90+2 minutos, Daniel Martins cruzou da esquerda para Silva cabecear com êxito para o 1-1. Com este resultado, as quatro equipas do Grupo B somam um ponto, com o Sporting da Covilhã a receber na próxima jornada da competição o SL Benfica.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: https://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20192020/allianzcup/3/4

Actualizado em Segunda, 07 Outubro 2019 09:12
 
Josué
Terça, 01 Outubro 2019 00:00

Josué começou a jogar futebol federado no FC Porto, onde cumpriu todos os escalões de formação, exceptuando uma época de juvenil no Padroense e uma temporada de júnior no CD Candal, tendo actuado pela equipa principal dos azuis e brancos em partidas da Taça da Liga quando ainda estava no último ano dos juniores. A qualidade de Josué na zona central do meio campo ou a extremo possibilitam-lhe o somatório de 30 internacionalizações por Portugal, desde dos sub-18 à AA, destacando-se os quatro jogos pela nossa principal selecção. Josué envergou a camisola serrana na época 2009/2010 por empréstimo da agremiação portista, mas a meio da temporada rumou ao FC Penafiel, no entanto, ainda deixou a sua marca nos dois golos que assinou nos nove encontros oficiais em que representou o nosso clube. A carreira de Josué tem prosseguido por diversos países, nomeadamente, na Holanda (VVV Venlo), em Portugal (FC Paços de Ferreira, FC Porto – vencedor da Supertaça -  e SC Braga – vencedor da Taça de Portugal) e na Turquia (Bursaspor, Galatasaray, Osmanlispor e Akhisar – vencedor da Supertaça turca), onde também tem somado jogos nas competições europeias. Que lembranças persistem do brilhantismo de Josué com a camisola covilhanense?


Actualizado em Terça, 01 Outubro 2019 08:49
 
Lusitânia FC Lourosa 4 SC Covilhã 2 (a.p.)
Domingo, 29 Setembro 2019 00:00

A participação do Sporting Clube da Covilhã na edição 2019/2020 da Taça de Portugal resume-se a um jogo, visto que foi afastado logo na primeira eliminatória em que entrou ao ser derrotado no terreno da Lusitânia Futebol Clube de Lourosa por 4-2, após a disputa do prolongamento pelo facto do tempo regulamentar ter terminado com uma igualdade a um golo.

A formação anfitriã entrou muito bem na partida e conseguiu abrir ao marcador logo aos 3 minutos por intermédio de Jaime Poulson, aumentando assim o nível de dificuldade para os serranos, pois, o Lourosa é uma das boas equipas do Campeonato de Portugal e que ambiciona subir à 2ª Liga. A resposta covilhanense ameaçou o empate em algumas ocasiões, nomeadamente num desvio de Kukula que levou a bola ao poste da baliza de Wilson Soares, no entanto, o período de descanso chegaria com vantagem para as cores locais. 

Na segunda parte, o Covilhã esteve mais forte e o empate tornou-se mesmo uma realidade aos 77 minutos, quando um cruzamento de Daniel Martins foi desviado para a própria baliza por Henrique, originando uma igualdade que obrigou a que fosse disputado o prolongamento para apurar que seguia em frente na competição, embora os pupilos de Ricardo Soares tenham estado perto de resolver o assunto dentro dos noventa minutos regulamentares.

No período extra, o protagonismo pertenceu ao costa-marfinense Goba Zapka, que apontou dois golos (aos 94 e 107 minutos) que deram uma vantagem confortável à Lusitânia de Lourosa. Contudo, o conjunto serrano não se deu por vencido e reduziu a diferença aos 110 minutos por Mica Silva, o que aumentou a incerteza sobre o desfecha da eliminatória para os instantes finais. A emoção terminou aos 119 minutos, quando o árbitro Anzhony Rodrigues assinalou um pontapé de penálti a favor dos locais, com evidente contestação das hostes visitantes, o qual foi aproveitado por Hélder Castro para fixar o resultado em 4-2. O Sporting da Covilhã foi desta forma eliminado da Taça de Portugal, seguindo-se agora um jogo para a Taça de Liga no próximo sábado, em que receberá o Vitória FC de Setúbal.

Texto: Eugénio Lopes.

Actualizado em Segunda, 30 Setembro 2019 09:52
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 1 de 178
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1834275