História do Sporting Clube da Covilhã
Hideraldo
Terça, 27 Novembro 2018 00:00

O goleador brasileiro Hideraldo estreou-se no futebol português com a camisola do União de Santiago do Cacém, que na altura marcava presença na Zona Sul da 2ª Divisão B, mas foi em representação do CD Alcains que os seus remates certeiros se tornaram mais frequentes, ao ponto de ser contratado pelo Sporting da Covilhã na temporada 1996/1997, com o nosso clube a disputar a 2ª Divisão de Honra. Com as cores serranas, Hideraldo não teve tanto sucesso, sendo somente utilizado em alguns jogos, daí o regresso a Alcains (participante assíduo na 2ª Divisão B e na 3ª Divisão Nacional) ainda no decorrer dessa época, onde voltou a encontrar o caminho das balizas adversárias. Hideraldo actuou posteriormente por Idanhense e Pedrógão de São Pedro, antes do último regresso a Alcains para terminar a sua carreira de futebolista. Que recordações existem de Hideraldo com a camisola covilhanense?

Actualizado em Terça, 27 Novembro 2018 09:42
 
SC Covilhã 0 Moreirense FC 3
Domingo, 25 Novembro 2018 00:00

Adriano pressionado por Ruben Lima e Pedro Nuno

O Sporting Clube da Covilhã foi afastado da actual edição da Taça de Portugal ao perder por 0-3 na recepção ao primodivisionário Moreirense Futebol Clube, em jogo integrado na 4ª eliminatória e que só na segunda parte é que ficou favorável às cores visitantes, visto que ao intervalo registava-se um nulo no marcador.

O emblema serrano apresentou-se no Estádio José Santos Pinto com Bruno Bolas na baliza, acompanhado na defensiva por Gilberto, Zarabi, Rafael Vieira e Agostinho Soares, com o meio campo ocupado por Rodrigues, Makouta e Mica Silva, ficando o ataque entregue a Adriano Castanheira, Jahfort e Deivison. Esta partida revelou-se movimentada logo na fase inicial, porém, sem qualquer das equipas conseguir elaborar um lance de perigo junto das balizas, pois, foi preciso esperar pelo minuto 26 para se ver uma acção mais delicada para as defensivas, no caso foi um cabeceamento de Pedro Nuno por cima em plena área local. Volvidos alguns instantes, o Covilhã também ameaçou as redes forasteiras, com o remate cruzado de Mica a passar muito perto do alvo desejado pelas hostes serranas. O encontro continuou bem disputado, mas Bolas e Trigueira não foram chamados a demasiado trabalho na defesa das suas balizas até ao tempo de descanso. Ao intervalo: 0-0.

Gilberto perseguido por Pedro Nuno

A etapa complementar arrancou com o golo inaugural do Moreirense, visto que aos trinta segundos Chiquinho assinou um remate triunfal de fora da área, provocando os primeiros festejos dos adeptos minhotos em terras serranas. Na jogada seguinte, Pedro Nuno fugiu aos defensores anfitriões, mas depois permitiu que a bola fosse recolhida pela mãos de Bruno Bolas. Contudo, aos 55 minutos, os comandados de Ivo Vieira acabaram mesmo por aumentar a contagem, quando na sequência de um canto cobrado por Pedro Nuno na esquerda, a bola foi desviada pela cabeça de Makouta para a sua própria baliza. A eliminatória parecia resolvida, mas os pupilos de Filó tiveram o mérito de procurarem evitar essa realidade, com destaque para uma iniciativa de Adriano que obrigou Trigueira a uma intervenção espectacular aos 58 minutos. O onze serrano continuou a pressionar e os recém-entrados Rick Sena e Onyeka tiveram possibilidades de reduzir a diferença e colocarem alguma incerteza sobre o vencedor do jogo. E foi com o conjunto local lançado no ataque que o Moreirense fixou o resultado em 0-3, quando aos 90+2 minutos Heriberto cruzou da direita para o uruguaio Texeira rubricar o tento final. O derradeiro apito do árbitro João Pinheiro sentenciou a eliminação do Sporting da Covilhã da Taça de Portugal, com o foco a centrar-se agora somente na Segunda Liga, em que terá lugar a recepção ao Farense no próximo domingo.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Actualizado em Segunda, 26 Novembro 2018 10:04
 
João Eusébio
Terça, 20 Novembro 2018 00:00

João Eusébio iniciou a carreira de treinador no GD Bragança, rumando depois ao AD Esposende, antes de regressar ao emblema brigantino, de onde partiu para os juniores do Rio Ave FC. Na agremiação de Vila do Conde, João Eusébio orientou posteriormente a equipa principal durante quatro temporadas, duas delas na 1ª Divisão Nacional, seguindo-se o comando técnico do Gil Vicente FC, antes de assinar pelo Sporting da Covilhã para a época 2009/2010. João Eusébio teve um arranque promissor com as cores serranas, conseguindo o apuramento para a 2ª fase da Taça da Liga e uma vitória forasteira na jornada inaugural da Segunda Liga, mas após duas derrotas consecutivas no campeonato foi encerrada a sua ligação ao nosso clube. A carreira de João Eusébio prosseguiu por diversos emblemas, nomeadamente, GD Chaves, Trofense, Freamunde, Clube do Chibuto (Moçambique) e Varzim SC, saindo da formação poveira na passada época no decorrer da Segunda Liga. Que memórias permanecem de João Eusébio no comando técnico do conjunto covilhanense?

Actualizado em Terça, 20 Novembro 2018 09:42
 
SC Covilhã 0 A. Académica de Coimbra 1
Domingo, 18 Novembro 2018 00:00

Gilberto pressionado por Traquina

Numa tarde de chuva e de nevoeiro, que obrigou mesmo a prolongar o tempo de intervalo e a interromper o jogo a meio da segunda parte, o Sporting Clube da Covilhã foi derrotado por margem tangencial pela Associação Académica de Coimbra, com o único golo da partida a ser apontado pelo experiente Marinho aos 89 minutos.

O onze covilhanense apresentou-se no Estádio José Santos Pinto com Vítor São Bento na baliza, acompanhado na defensiva por Gilberto, Jaime Simões, Rafael Vieira e Henrique Gomes, com o meio campo ocupado por Rodrigues, Caio Quiroga e Mica Silva, ficando o ataque entregue a Adriano Castanheira, Jean Batista e Deivison. Perante o cenário meteorológico apresentado, este encontro caracterizou-se por muita luta pela posse de bola e uma quase ausência de emoção no primeiro tempo, essencialmente até à meia hora, em que ambas as balizas não sofreram sérias ameaças. Passada esta fase, o Covilhã revelou-se mais rematador, com Mica a atirar por duas vezes para defesas seguras do guardião Peçanha, respondendo os academistas através de um cabeceamento ao lado por Djoussé. Aos 44 minutos, os locais reclamaram uma infracção manual de um defensor contrário num passe de Mica, mas o árbitro João Malheiro Pinto não viu qualquer motivo para assinalar um castigo máximo. Ao intervalo: 0-0.

Henrique Gomes vigia a movimentação de Romário Baldé

Após o nevoeiro ter adiado o início da etapa complementar, a partida teve um momento de emoção logo aos 46 minutos, quando Henrique rematou de longe para uma boa intervenção de Peçanha impedir os festejos serranos. Praticamente no lance seguinte, a Académica introduziu a bola nas redes covilhanenses por Júnior Sena, contudo, a acção foi anulada pela arbitragem devido a fora de jogo. O encontro estava mais movimentado e os comandados de Filó revelavam um grande empenho em alcançar o triunfo, com o brasileiro Deivison a ser protagonista em duas iniciativas: aos 55 minutos, um contra ataque conduzido por Mica deixou o avançado perante Peçanha, mas depois de passar pelo guarda-redes visitante o n.º 9 perdeu ângulo para ter êxito; e aos 63 minutos, na sequência de um livre lateral, Deivison desviou a bola para uma atenta defesa de Peçanha. E quando o Covilhã estava melhor no jogo, eis que o nevoeiro obriga a uma interrupção de cerca de dez minutos, regressando-se posteriormente a uma partida menos dinâmica, mas com o seu único golo aos 89 minutos, em que Júnior cruzou da esquerda para o remate decisivo de Marinho, que assim provocou enormes festejos nos adeptos da Académica presentes no estádio serrano. O emblema local ainda tentou a igualdade, porém, os remates de Mica e de Makouta foram defendidos com segurança por Peçanha. Com a segunda derrota consecutiva no campeonato, esta antecipada da 16ª jornada, o Sporting da Covilhã permanece no penúltimo lugar da classificação, voltando a jogar no próximo domingo, mas agora para a Taça de Portugal, ao receber no seu estádio o primodivisionário Moreirense.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20182019/ledmanligapro/16/5

Actualizado em Segunda, 19 Novembro 2018 10:25
 
Augusto Mendes
Terça, 13 Novembro 2018 00:00

O defesa central Augusto Mendes tornou-se mais conhecido no mundo do futebol ao representar o Barreirense na 1ª Divisão Nacional, mas depois a sua carreira prosseguiu por diversos clubes do escalão secundário, nomeadamente, Alba, Portalegrense, GD Mangualde e Recreio de Águeda, onde foi recrutado pelo Sporting da Covilhã para a época 1982/1983. Mendes assumiu protagonismo no eixo da defensiva serrana, tendo participado em 27 jogos oficiais, numa temporada difícil para o nosso emblema, que chegou a ocupar o último lugar da Zona Centro da 2ª Divisão Nacional durante algumas jornadas, contudo, uma boa recta final de campeonato possibilitou um lugar a meio da tabela. Augusto Mendes rumou posteriormente ao GD Peniche, regressando em seguida ao Alba, mas certamente que deixou recordações das suas actuações com a camisola serrana…

Actualizado em Terça, 13 Novembro 2018 08:57
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 2 de 163
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1550807