História do Sporting Clube da Covilhã
SC Covilhã 1 UD Oliveirense 1
Domingo, 04 Fevereiro 2018 00:00

Makouta pressionado por Amorim

O Sporting Clube da Covilhã não foi além de uma igualdade a uma bola na recepção à União Desportiva Oliveirense, estando mesmo em desvantagem no marcador já no último quarto de hora da partida, mas o pontapé de penálti devidamente convertido em golo por Fatai aos 83 minutos salvou um ponto para as cores covilhanenses.

O conjunto serrano apresentou-se em campo num esquema de 1x4x3x2x1, com Igor Rodrigues na baliza, acompanhado na defensiva por João Dias, Gerson, Zarabi e Paulo Henrique, ficando Makouta e Gilberto na zona mais recuada no meio campo, com Fatai, Índio e Reinildo no apoio ao ponta de lança Adul Seidi.  Num jogo influenciado pelo vento, a formação visitante tentou aproveitar esse factor a seu favor na primeira parte, criando uma sequência de lances perigosos para as redes locais: aos 7 minutos, um cruzamento de Ricardo Tavares na esquerda levou a bola ao poste da baliza serrana; aos 11 minutos, um remate de Amorim passou um pouco por cima do alvo; aos 15 minutos, um cabeceamento de Riascos obrigou o guardião Igor Rodrigues a uma boa defesa; e aos 22 minutos, Ricardo Tavares apontou um livre directo para intervenção atenta de Igor Rodrigues. Sensivelmente a meio do primeiro tempo, o Covilhã conseguiu estabilizar o seu jogo e passou a ser a melhor equipa em campo, ameaçando por duas vezes chegar ao tento inaugural, visto que aos 35 minutos, Makouta isolou Reinildo diante do guarda-redes Coelho, sendo este mais eficaz no duelo com o moçambicano, e aos 38 minutos, Índio surgiu em posição privilegiada para ter êxito, porém, não revelou capacidade sequer para atirar à baliza forasteira, permanecendo assim o nulo para o período de descanso. Ao intervalo: 0-0.

Igor Rodrigues impõe-se nas alturas

Na etapa complementar foram os pupilos de José Augusto que procuraram beneficiar com o vento, tendo conseguido uma série de três acções em que os festejos tiveram perto de ser uma realidade: aos 50 minutos, Adul Seidi cabeceou ao poste da baliza oliveirense; aos 62 minutos, nova bola no ferro, agora num cabeceamento de Reinildo; e aos 65 minutos, em localização frontal às redes adversárias, Índio rematou para defesa segura de Coelho. Apesar de estarem mais preocupados com a defensiva, os comandados de Pedro Miguel nunca perderam as esperanças de alcançar um golo, algo que veio mesmo a acontecer aos 78 minutos, quando Amorim atirou certeiro a redonda cruzada do lado esquerdo. O Covilhã via as suas intenções de triunfo complicarem-se, mas ganhou novo alento aos 83 minutos com o tento do empate, pois, o árbitro Daniel Cardoso assinalou um castigo máximo devido ao derrube de Adul Seidi na área visitante, sendo aproveitado por Fatai para colocar o resultado em 1-1. Os serranos ainda aceleraram em busca dos três pontos, no entanto, no tempo de compensação até foi a Oliveirense que esteve mais perigosa, com destaque para o minuto 90+2, em que  Riascos falhou por muito pouco aquele que seria o golo da vitória. Com este empate, o Sporting da Covilhã continua na zona intermédia da classificação, bem mais perto dos lugares de subida do que das posições de descida, seguindo-se uma deslocação à Madeira para jogar com o Nacional no domingo.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20172018/ledmanligapro/23/8

Actualizado em Segunda, 05 Fevereiro 2018 10:10
 
Ricardo Jesus
Terça, 30 Janeiro 2018 00:00

Ricardo Jesus começou jogar futebol nas camadas jovens do Vitória de Setúbal, onde cumpriu todos os patamares de formação e integrou o plantel principal na primeira época como sénior, embora sem participar em qualquer partida oficial pelos sadinos. Ricardo Jesus rumou depois ao GD Peniche, seguindo-se União de Montemor, Caldas SC, Tirsense e Benfica e Castelo Branco antes de voltar ao Vitória FC, agora já com outra experiência, tendo disputado alguns encontros na 1ª Divisão Nacional com as cores setubalenses. Ricardo Jesus representou posteriormente Torreense, Atlético de Reguengos e, de novo, União de Montemor, sendo apresentado como reforço do Sporting da Covilhã para a temporada 1996/1997, em que os serranos faziam a sua estreia na 2ª Divisão de Honra. Ricardo Jesus actuava no meio campo e apesar de toda a qualidade demonstrada não se conseguiu impor no conjunto covilhanense (apenas oito jogos com a camisola do nosso clube), que acabou por descer à 2ª Divisão B ao ser derrotado por 2-1 no terreno do Desportivo de Beja na última jornada do campeonato. A carreira de Ricardo Jesus continuou por vários emblemas nacionais, nomeadamente, Coruchense, Seixal FC, GD Benavente, Amora FC, Estrela de Vendas Novas, CD Montijo, Alcacerense e Comércio e Indústria. Que recordações permanecem das jogadas de Ricardo Jesus?

Actualizado em Terça, 30 Janeiro 2018 09:42
 
Vitória SC Guimarães B 3 SC Covilhã 0
Segunda, 29 Janeiro 2018 00:00

Depois de quatro jornadas consecutivas a somar triunfos, o Sporting Clube da Covilhã regressou às derrotas no magnífico Estádio Dom Afonso Henriques, onde a equipa B do Vitória Sport Clube de Guimarães foi mais forte e conquistou os três pontos de forma esclarecedora, apontando um golo no primeiro tempo e os restantes dois na segunda parte.

Este encontro teve um começo movimentado, em que ambas as equipas revelaram intenções rematadoras, porém, sem conseguirem na fase inicial criar lances ameaçadores para o nulo verificado no marcador, com o jogo a prolongar-se enquadrado por um cenário de equilíbrio, surgindo uma acção mais perigosa somente aos 19 minutos, quando Zarabi interceptou um cabeceamento de Estupiñán na área forasteira. A resposta serrana aconteceu volvidos poucos instantes, num lance em que o guarda-redes Miguel Oliveira impediu que a bola chegasse à cabeça de Reinildo, contudo, foi mesmo o Vitória B que inaugurou o "placard" aos 28 minutos, com o colombiano Estupiñán a cabecear com êxito um cruzamento de Artur Abreu na direita. Os serranos procuraram de imediato a igualdade, mas sem conseguirem ameaçar seriamente a baliza minhota, sendo até a equipa local que esteve perto de aumentar a vantagem aos 39 minutos por Artur Abreu, valendo a boa intervenção do guardião Igor Rodrigues para impedir esse facto, que segurou assim a diferença mínima para a etapa complementar. Ao intervalo: 1-0.

No segundo tempo, o Covilhã entrou bem no jogo e esteve perto do empate aos 50 minutos, quando Reinildo rematou para uma defesa com o pé de Miguel Oliveira, e aos 52 minutos, numa iniciativa de Fatai, contudo, os festejos acabaram por acontecer nas hostes vitorianas aos 55 minutos devido ao tento apontado por Domingo, num lance em que o sul-africano atirou certeiro após uma intervenção de Igor Rodrigues. Num período em que a formação serrana estava melhor, este golo veio complicar bastante a missão dos comandados de José Augusto, que apesar de todo o esforço revelado para inverter o rumo dos acontecimentos, viram o resultado ser avolumado aos 71 minutos, com o recém-entrado Rui Gomes a assinar o terceiro do conjunto vimaranense. O emblema covilhanense ainda procurou minimizar os estragos, algo que esteve próximo de ser uma realidade aos 81 minutos, com Paulo Henrique a cobrar um livre directo para boa defesa de Miguel Oliveira. No entanto, o 3-0 foi mesmo o desfecho desta partida (em que Vitó se estreou com a nossa camisola no decorrer da segunda parte), com o Sporting da Covilhã a voltar a sentir uma derrota, o que não acontecia desde meados de Dezembro, seguindo-se nova jornada no domingo, dia da recepção à Oliveirense no Estádio José Santos Pinto.

Texto: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20172018/ledmanligapro/22/2

Actualizado em Segunda, 29 Janeiro 2018 17:08
 
Sérgio Santos
Terça, 23 Janeiro 2018 00:00

Sérgio Santos finalizou os escalões de formação no FC Porto, estreando-se a nível sénior no Leça FC, tendo regressado depois ao emblema azul e branco para integrar a equipa de reservas. Posteriormente, Sérgio Santos representou Infesta, Estarreja e Trofense, antes de ingressar no Sporting da Covilhã na temporada 1988/1989, com o nosso clube a disputar a Zona Centro da 2ª Divisão Nacional. Sérgio jogava preferencialmente no sector defensivo e foi titular a maior parte da época, mas no aspecto colectivo o campeonato não evoluiu como desejado, visto que o conjunto serrano não foi além do 6º lugar da classificação, ficando muito afastado da luta pelo regresso à 1ª Divisão Nacional. Já na Taça de Portugal, Sérgio e colegas ainda afastaram da prova o Mangualde, o primodivisionário AD Fafe e o Leverense, sendo eliminados da competição pelo Belenenses após uma derrota por 3-0 no Estádio do Restelo. Sérgio prosseguiu depois a carreira por vários clubes, em concreto, Oliveirinha, Vila Real, Aliados do Lordelo, Recreio de Águeda, Gens e Valenciano. Que memórias existem de Sérgio Santos com a camisola covilhanense?

Actualizado em Terça, 23 Janeiro 2018 09:53
 
SC Covilhã 1 CD Santa Clara 0
Domingo, 21 Janeiro 2018 00:00

Fatai procura escapar a Igor Rocha

O Sporting Clube da Covilhã está a atravessar um excelente momento de forma e alcançou diante do Clube Desportivo Santa Clara a quarta vitória consecutiva na Ledman LigaPro, sendo de realçar o facto de não ter sofrido qualquer golo nestes quatro jogos, ocupando neste momento o 6º lugar da tabela classificativa, somente a dois pontos das posições de subida de divisão.

O emblema covilhanense apresentou-se em campo num esquema de 1x4x4x2, com Igor Rodrigues na baliza, acompanhado na defensiva por João Dias, Zarabi, Joel e Paulo Henrique, ficando o meio campo entregue a Makouta, Índio, Gilberto e Reinildo, com Fatai e Adul Seidi na frente de ataque. A luta pela posse de bola e a determinação na disputa dos lances caracterizaram esta partida desde do apito inicial do árbitro João Pinto, com ambas as equipas mais preocupadas em não perderem uma boa organização do que em partirem o jogo, embora não tenham faltado remates às duas balizas, porém, sem evidente perigo na primeira meia hora. Aos 31 minutos, o Covilhã ameaçou abrir a contagem, quando Fatai atirou cruzado um pouco ao lado das redes açorianas, no entanto, aos 36 minutos, os serranos assinaram mesmo aquele que seria o único tento do encontro, com Adul Seidi a concluir com êxito um cabeceamento de João Dias após um livre apontado por Makouta na esquerda. O Santa Clara não demorou a procurar o empate e o guardião Igor Rodrigues foi chamado a papel de destaque, começando por revelar segurança num remate de Fernando, prosseguindo com uma boa intervenção perante a acção de Minhoca, não permitindo assim mexida no "placard" antes do tempo de descanso. Ao intervalo: 1-0.

Reinildo pressiona Accioly

Na segunda parte esperava-se um regresso forte da formação visitante numa tentativa de inverter o resultado, contudo, nos momentos iniciais foram os comandados de José Augusto que se apresentaram mais perigosos, com Índio e Reinildo a rubricarem remates que fizeram a bola passar perto da baliza de Serginho. Os serranos estavam melhor na partida e mais motivados ficaram aos 52 minutos, visto que uma falta muito dura de Dani Coelho sobre Reinildo obrigou o árbitro a expulsar o defesa direito forasteiro, deixando o Santa Clara em inferioridade numérica até final da partida. Aos 64 minutos, o conjunto covilhanense teve uma boa oportunidade para dilatar a diferença, pois, Fatai surgiu isolado diante de Serginho, mas foi o guarda-redes açoriano que levou a melhor neste confronto, voltando a protagonizar nova boa intervenção aos 68 minutos, agora a remate de Índio. Mesmo reduzido a dez elementos, o emblema de Ponta Delgada não perdeu o foco de tentar conquistar pelo menos um ponto neste encontro e obrigou o Covilhã a sofrer para garantir o triunfo, como aconteceu num lance de Fernando em plena área local aos 67 minutos, valendo a excelente oposição de Reinildo para evitar os festejos adversários. Os pupilos de Carlos Pinto voltariam a estar perto da igualdade em duas ocasiões: aos 81 minutos, Accioly cabeceou por alto em posição favorável para ter sucesso; e aos 85 minutos, um remate forte de Minhoca encontrou pela frente Zarabi, que desta forma terá impedido a felicidade visitante. Com o público serrano a manifestar total apoio à sua equipa, o jogo terminou com o triunfo covilhanense pela margem mínima, somando três pontos que aproximam o nosso clube da parte alta da classificação, seguindo-se uma deslocação ao terreno do Vitória de Guimarães B na segunda-feira em partida da 22ª jornada do campeonato.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20172018/ledmanligapro/21/8

Actualizado em Segunda, 22 Janeiro 2018 10:26
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 2 de 148
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1349492