História do Sporting Clube da Covilhã
SC Covilhã 0 Vitória SC Guimarães 1
Quarta, 18 Janeiro 2017 00:00

Gilberto e Medarious procuram impedir um ataque vitoriano

Passados quase 30 anos, o Sporting Clube da Covilhã voltou a receber a visita da equipa principal do Vitória Sport Clube de Guimarães para disputar um encontro oficial, desta vez integrado nos Quartos de Final da Taça de Portugal "Placard", num jogo que ditou o afastamento do emblema serrano desta competição, visto que o golo apontado por Hernâni aos 79 minutos foi suficiente para colocar a formação vimaranense na próxima ronda da prova.

O conjunto serrano apresentou-se em campo num esquema de 1x4x2x3x1, com Igor Rodrigues na baliza, acompanhado na defensiva por Gilberto, Zarabi, Joel e Mike, ficando Djikiné e Diarra mais recuados no meio campo, com Medarious, Chaby e Pintassilgo no apoio ao avançado Harramiz. Com uma boa moldura humana no Complexo Desportivo da Covilhã, os vitorianos entraram na partida com uma atitude mais atacante, conseguindo uma sucessão de pontapés de canto, mas que não causaram problemas de maior à defensiva local. Com o progredir do relógio, o Covilhã equilibrou o jogo e não se fez rogado em colocar a bola frequentemente na área contrária, contudo, sem efectuar qualquer remate digno de registo, aliás, em alguns lances os jogadores serranos nem tentaram rematar quando estavam em posição interessante para o fazerem. Foi necessário aguardar pelo minuto 40 para se assitir a uma acção verdadeiramente perigosa para uma das balizas, neste caso, para as redes covilhanenses, pois, um livre apontado por Raphinha obrigou Igor Rodrigues a uma intervenção de recurso, sobrando a bola para a recarga de Hernâni ao poste, evitando assim mexida no marcador antes do tempo de descanso. Ao intervalo: 0-0.

Chaby e Bruno Gaspar lutam pela posse de bola

Para a segunda parte, os comandados de Filipe Gouveia surgiram com ideias mais ofensivas, tentando explorar o vento que agora soprava a seu favor, não demorando a causar dificuldades ao sector mais recuado dos minhotos, com destaque para dois lances: aos 52 minutos, o guarda-redes visitante atirou a redonda para os pés de Chaby, que não arriscou um pontapé longínquo com Miguel Silva mal posicionado para defender a sua baliza; e aos 63 minutos, Mike cruzou da esquerda para Pintassilgo cabecear por alto em plena área vitoriana. O jogo caminhou então para uma fase com muitos remates por parte das duas equipas, mas quase sempre mal direccionados ou defendidos com segurança por Igor Rodrigues e Miguel Silva. Aos 70 minutos, o técnico Filipe Gouveia colocou em campo Erivelto, numa estreia para gáudio dos apoiantes serranos, certamente a lembrarem os muitos golos apontados pelo brasileiro na época 2014/2015, em que o Covilhã não ascendeu à 1ª Liga por muito pouco. No entanto, apesar da motivação local estar em alta com a entrada de Erivelto, o único tento da partida acabou por acontecer na baliza covilhanense, visto que aos 79 minutos, Bruno Gaspar cruzou na direita para o remate forte de Hernâni, que provocou efusivos festejos nos cerca de um milhar de adeptos vitorianos presentes na cidade serrana. Os anfitriões ainda procuraram o golo que valesse a ida para prolongamento, com saliência para um livre cobrado por Erivelto aos 90+4 minutos, que possibilitou uma boa defesa a Miguel Silva, garantindo desta forma a passagem do Vitória de Guimarães às Meias Finais da Taça de Portugal. Esta eliminação deixa o Sporting da Covilhã somente focado na 2ª Liga, onde precisa de pontos para se afastar dos lugares incómodos da classificação, tendo jogo na próxima segunda-feira, com uma deslocação a Alcochete para jogar com o Sporting B.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Actualizado em Quinta, 19 Janeiro 2017 10:36
 
Vasco Varão
Terça, 17 Janeiro 2017 00:00

Vasco Varão iniciou a prática de futebol no Atlético CP, mas ainda nos escalões jovens representou Sporting CP e Futebol Benfica, regressando ao emblema de Alcântara para concluir a formação e subir ao nível sénior. Após duas épocas como elemento fundamental no meio campo do Atlético CP, Vasco Varão rumou ao Camacha, envergando posteriormente a camisola de Olivais e Moscavide, Odivelas, CD Fátima, Vitória de Setúbal (onde jogou na 1ª Divisão Nacional) e Carregado, antes de ser apresentado como reforço do Sporting da Covilhã para a temporada 2010/2011. Com as cores serranas, Vasco Varão disputou 22 jogos oficiais, repartidos por 2ª Liga, Taça de Portugal e Taça da Liga, nos quais assinou dois golos, ajudando a formação covilhanense a alcançar a manutenção no escalão secundário, embora de forma dramática, visto que somente um tento apontado por Milton no último lance da derradeira jornada (vitória por 1-0 ao CD Aves) possibilitou esse objectivo. Vasco Varão prosseguiu depois a carreira por CD Fátima, Atlético CP e CD Mafra, onde joga actualmente no Campeonato de Portugal, mas não faltarão lembranças das suas exibições com a camisola serrana…

Actualizado em Terça, 17 Janeiro 2017 09:56
 
SC Covilhã 2 FC Penafiel 3
Sábado, 14 Janeiro 2017 00:00

Medarious e Daniel Martins procuram a bola nas alturas

Depois de seis jogos consecutivos a pontuar na Ledman LigaPro, o Sporting Clube da Covilhã voltou a sentir o sabor de uma derrota na recepção ao Futebol Clube de Penafiel, numa partida que teve uma segunda parte plena de emoção, mas que acabou da pior maneira para as cores serranas, visto que o 2-3 final foi estabelecido no tempo de compensação concedido pelo árbitro António Nobre.

O emblema covilhanense apresentou-se em campo num esquema de 1x4x2x3x1, com Igor Rodrigues na baliza, acompanhado na defensiva por Mike, Zarabi, Zé Pedro e Joel, ficando Djikiné e Gilberto mais recuados no meio campo, com Medarious, Chaby e Luís Pinto no apoio ao avançado Harramiz. A manhã fria deste sábado ficou ainda mais fria para as hostes locais logo aos 6 minutos, pois, Wellington assinou uma boa jogada indivídual e atirou o Penafiel para a liderança do marcador bem cedo na partida. Os serranos até tiveram uma reacção perigosa, protagonizando dois lances em que o empate pairou no Estádio José Santos Pinto, mas as correctas intervenções do guardião Coelho, a cabeceamento de Joel e a remate de Gilberto, impediram os festejos dos adeptos anfitriões. Volvido o quarto de hora inicial, o jogo tornou-se menos interessante de acompanhar, até porque a redonda passou muito tempo longe de ambas as redes, por isso, apenas duas acções merecem registo até ao período de descanso: aos 30 minutos, na sequência de um livre lateral, Zé Pedro teve um desvio infeliz que levou a bola ao poste da sua própria baliza; e aos 43 minutos, Harramiz surgiu em plena área adversária a atirar fraco para as mãos de Coelho. Ao intervalo: 0-1.

Mike tenta travar a progressão de Fidélis

Para a etapa complementar, o treinador Filipe Gouveia alargou a frente de ataque ao fazer entrar o reforço Onyeka, com o nigeriano a causar problemas à defensiva nortenha logo na jogada de abertura, ao cruzar da esquerda para o cabeceamento torto de Harramiz, que estava em posição para ter sucesso. O Covilhã estava claramente apostado em empurrar a formação contrária para terrenos recuados, no entanto, o Penafiel mostrou-se sempre atento ao contra ataque e aos 56 minutos ameaçou dilatar a vantagem por Wellington, que viu a sua intenção desfeita pela boa defesa do guarda-redes Igor Rodrigues, mas o encontro estava eléctrico e os serranos alcançaram a igualdade aos 65 minutos, quando Harramiz deu a desejada sequência ao cruzamento de Medarious na direita. A equipa local galvanizou-se e partiu em busca do triunfo, só que do outro lado estava um conjunto perigoso, que conseguiu retomar a frente do "placard" passados poucos instantes, com o talentoso Wellington a concluir de forma brilhante uma contra ofensiva forasteira. Contudo, não foi necessário esperar muito tempo por nova mexida no marcador, visto que aos 71 minutos e após uma jogada algo confusa, o esforçado Onyeka foi premiado com o tento do empate. O público estava empolgado com as emoções do jogo e aos 79 minutos passou de empolgado a enervado com a arbitragem, porque o árbitro António Nobre não considerou merecedora de penálti a acção manual de Gonçalo Abreu num cruzamento de Medarious, o que originou visíveis protestos dos apoiantes serranos, com o técnico Filipe Gouveia a receber ordem da expulsão por também contestar a decisão arbitral. A partida ficou então um pouco mais calma, mas as emoções regressaram no tempo de descontos: primeiro, aos 90+2 minutos, na sequência de um canto, gerou-se alguma confusão na área serrana, que Rafa Sousa aproveitou para fixar o resultado em 2-3, levando uma onda de euforia aos adeptos penafidelenses; depois, aos 90+4 minutos, Djikiné atirou para uma boa defesa de Coelho, que em seguida ofereceu o corpo à recarga de Harramiz e segurou assim três pontos para o emblema nortenho. Com este desaire, o Sporting da Covilhã coloca um ponto final numa série de seis jogos sem derrotas no campeonato, porém, também alargou para três o número de partidas consecutivas sem vencer na prova, todavia, a atenção vira-se agora para a Taça de Portugal com a recepção ao Vitória de Guimarães na quarta-feira, em que estará em discussão o acesso às Meias Finais da competição, algo que a agremiação serrana não alcança desde da época 1984/1985.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20162017/ledmanligapro/22/8

Actualizado em Segunda, 16 Janeiro 2017 10:19
 
Rio Ave FC 2 SC Covilhã 0
Quarta, 11 Janeiro 2017 00:00

O Sporting Clube da Covilhã despediu-se da fase de grupos da Taça da Liga com uma derrota por 2-0 no terreno do primodivisionário Rio Ave Futebol Clube, com ambos os golos apontados por Gil Dias (aos 4 e aos 65 minutos), numa partida bem disputada e em que os serranos também tiveram ocasiões para marcar.

Já sem possibilidades de passagem à Final Four da competição, o técnico Filipe Gouveia voltou a apostar num onze diferente do habitual, num jogo que não podia ter começado pior para as cores covilhanenses, visto que Rio Ave inaugurou o "placard" logo aos 4 minutos por intermédio de Gil Dias, que atirou fora do alcance do guardião Igor Araújo. No entanto, a reacção visitante não se fez esperar e por duas vezes a igualdade pairou no Estádio dos Arcos: aos 11 minutos, Chaby apontou um canto para Luís Pinto cabecear por alto em zona perigosa; e aos 13 minutos, Pintassilgo rematou para as mãos do guarda-redes Rui Vieira em posição privilegiada para ter sucesso. A formação de Vila do Conde estava mais virada para o contra ataque e aos 19 minutos ameaçou aumentar a contagem num lance desses, só que Gil Dias atirou ao lado da baliza serrana, porém, aos 33 minutos surgiu nova ocasião para a equipa local, desta vez por Ronan, que obrigou Igor Araújo a uma boa intervenção para evitar o segundo tento do Rio Ave. Os derradeiros instantes da primeira parte foram de sinal mais para o Covilhã, que voltou a importunar perigosamente a defensiva nortenha, com Ponde em destaque, pois, efectuou um cruzamento traiçoeiro por cima das redes locais aos 40 minutos e rematou para uma defesa atenta de Rui Vieira aos 44 minutos, que assim segurou a diferença mínima para o período de descanso. Ao intervalo: 1-0.

No segundo tempo, a partida continuou interessante de acompanhar e não demoraram a aparecer lances dignos de realce: aos 51 minutos, um livre apontado por Chaby sofreu um desvio na barreira adversária e por muito pouco a bola não entrou na baliza vilacondense; e aos 53 minutos, o recém-entrado Guedes rematou para uma intervenção salvadora do defensor Zé Pedro. Aos 57 minutos, o reforço Onyeka realizou a sua estreia com a camisola covilhanense, mas a noite era de festejos para o Rio Ave (na altura em posição de acesso à fase seguinte da Taça CTT), que aos 65 minutos fixou o resultado em 2-0 pelo inevitável Gil Dias, dando a devida sequência a um passe falhado pelos visitantes em zona proibida. O emblema serrano teve o mérito de não baixar os braços e continuar a praticar bom futebol, estando muito perto de reduzir a desvantagem aos 78 minutos, quando Medarious apareceu isolado diante de Rui Vieira, mas sem capacidade para evitar mais uma boa defesa do guardião local. Apesar de algumas tentativas das duas equipas, o marcador não sofreu mais alterações, com o último apito do árbitro Manuel Mota a sentenciar o desfecho, que acabou por ser amargo para o próprio Rio Ave, pois, o resultado no outro jogo do Grupo C não foi o desejado e o clube nortenho acompanha os serranos no lote dos eliminados. O Sporting da Covilhã vira de imediato o foco para a Segunda Liga, visto que recebe na manhã de sábado o Penafiel, numa partida que marca o arranque da segunda volta da prova.

Texto: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20162017/tacactt/5/6

Actualizado em Quarta, 11 Janeiro 2017 23:39
 
Geninho
Terça, 10 Janeiro 2017 00:00

Eugénio Fernandes Mendes Brito ficou conhecido nos meios futebolísticos por Geninho, um jogador polivalente na defesa e no meio campo que começou a destacar-se no Salgueiros, tendo mesmo representado o emblema portuense na 1ª Divisão Nacional. No entanto, o nome de Geninho é normalmente mais associado ao Varzim, resultante das várias épocas em que envergou a camisola poveira, estando ligado ao feito histórico de duas subidas de divisão consecutivas, que levaram o emblema varzinista do terceiro ao primeiro escalão do futebol português. Geninho continuou a jogar no Varzim na 1ª Divisão Nacional, mas na temporada 1965/1966 foi contratado pelo Sporting da Covilhã, que estava a construir uma equipa para lutar pelo regresso ao patamar primodivisionário. O nosso clube até teve um bom arranque de campeonato, chegando a liderar a Zona Norte da 2ª Divisão Nacional, porém, alguns desaires permitiram a ultrapassagem definitiva da Sanjoanense, que garantiu a subida de escalão e deixou o conjunto covilhanense no 2º lugar da classificação final. Para além do campeonato, Geninho também participou em dois jogos da Taça de Portugal, com os serranos a eliminarem o Almada, antes de serem afastados da prova pelo Barreirense. No total das duas competições, Geninho jogou em 25 partidas na única época em que representou os covilhanenses, que terão sido suficientes para existirem recordações da sua determinação em campo…

Actualizado em Terça, 10 Janeiro 2017 12:43
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 10 de 135
ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1204888