História do Sporting Clube da Covilhã
Rui Pereira de Andrade
Terça, 09 Maio 2017 00:00

Rui Andrade começou a jogar futebol nas escolas do GD Chelas, mas depois rumou aos escalões jovens do Palmense e do Oriental, onde concluiu a processo formativo e ascendeu ao nível sénior. Após várias épocas no Oriental, Rui Andrade representou em seguida SL Fanhões, Operário dos Açores e Olhanense, antes de ser apresentado como reforço do Sporting da Covilhã para a temporada 2003/2004. Rui Andrade envergou a camisola serrana somente uma época e assumiu papel preponderante no meio campo da nossa equipa, no entanto, a nível colectivo foi uma temporada para esquecer, visto que a formação covilhanense terminou a 2ª Divisão de Honra no penúltimo lugar, com a consequente descida de divisão. Entre campeonato e Taça de Portugal, Rui Andrade participou em 32 jogos oficiais do emblema serrano, nos quais apontou dois golos, prosseguindo depois a carreira por diversos clubes, nomeadamente, FC Marco, Pinhalnovense, Atlético CP, CD Mafra e Associação da Charneca, para além das agremiações cipriotas Doxa, Ermis Aradippou e Atromitos Yeroskipou. Que lembranças permanecem das exibições de Rui Andrade?

Actualizado em Terça, 09 Maio 2017 08:50
 
Leixões SC 1 SC Covilhã 3
Domingo, 07 Maio 2017 00:00

Quarta vitória consecutiva do Sporting Clube da Covilhã na Ledman LigaPro, agora no terreno do Leixões Sport Club por 1-3 e de forma surpreedente perante o enquadramento do jogo, visto que a formação serrana entrou no derradeiro quarto de hora da partida em desvantagem no marcador e em inferioridade numérica por expulsão de Djikiné, mas dois golos de Ponde (ambos de pontapé de penálti) e um de Medarious deixaram a equipa local completamente desolada.

A maior pressão pontual deste encontro estava sobre o emblema de Matosinhos, que continua envolvido na luta pela fuga aos lugares de despromoção, mas os visitantes não estavam dispostos a abdicar da ambição de triunfar, notando-se um equilíbrio de forças logo nos momentos iniciais do jogo. Com o avançar do relógio, o Leixões tornou-se mais rematador e a baliza covilhanense foi sendo colocada em perigo, salientando-se dois lances: aos 18 minutos, Lamas obrigou o guarda-redes Igor Rodrigues a uma defesa atenta para canto; e aos 24 minutos, na cobrança de um livre directo, Porcellis atirou ao poste. No entanto, a equipa serrana não demorou a apresentar também as suas intenções atacantes, pois, aos 36 minutos, o remate de Harramiz levou a bola a passar muito próximo da baliza local. Aos 41 minutos, o treinador Filipe Gouveia teve que efectuar uma substituição por lesão de Erivelto, fazendo entrar Ponde para o seu lugar. Ainda antes do tempo de descanso, os leixonenses jogaram mais perto da baliza forasteira, porém, sem conseguirem claras ocasiões de golo. Ao intervalo: 0-0.

Na segunda parte, o cenário parecia fortemente favorável para as cores de Matosinhos, começando logo pelo tento inaugural apontado por Cadú aos 49 minutos, que cabeceou para as redes forasteiras na sequência de um pontapé de canto, provocando assim uma explosão de alegria no histórico Estádio do Mar. Neste mesmo lance, Zarabi ficou lesionado e Sambinha teve que entrar para a sua posição, deixando o técnico Filipe Gouveia com menos uma opção para o decorrer da partida. E para a situação ficar ainda pior para o emblema covilhanense, o árbitro Bruno Esteves exibiu o cartão vermelho a Djikiné aos 59 minutos, aparentemente por protestos do médio maliano, admoestado com a cartolina amarela numa acção anterior. Perante estes factos, poucos acreditariam que os três pontos escapassem ao Leixões, mas o futebol não é uma ciência exacta e tudo mudou radicalmente no último quarto de hora do encontro: aos 79 minutos, Ponde foi derrubado por Cadú na área anfitriã e originou um pontapé de penálti, aproveitado pelo próprio Ponde para igualar a partida; aos 83 minutos, um defensor leixonense interceptou com o braço o remate de Gilberto, provocando novo castigo máximo, que Ponde não desperdiçou para colocar os serranos na frente do marcador; e aos 88 minutos, num contra ataque bem desenhado pelo conjunto covilhanense, Medarious atirou para o 1-3 que seria resultado final. Com os apoiantes visitantes em festa no terreno nortenho, o Covilhã ainda teve oportunidades para construir um desfecho mais desnívelado, mas a pontaria não se revelou apurada nos momentos finais do jogo. Este triunfo selou matematicamente a permanência serrana na Ledman LigaPro, estando a atenção agora colocada no 5º lugar, que está somente a três pontos, com os covilhanenses a receberem no domingo precisamente um dos adversários na disputa desse lugar, o Santa Clara.

Texto: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo:http: //ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20162017/ledmanligapro/40/2

Actualizado em Domingo, 07 Maio 2017 18:06
 
Lukiau
Terça, 02 Maio 2017 00:00

O congolês Lukiau chegou ao futebol português para representar a UD Oliveirense, sendo proveniente do conhecido emblema angolano 1º de Agosto, ficando para actuar nos relvados nacionais durante várias temporadas, ao envergar posteriormente a camisola de Tirsense, Naval e Académico de Viseu, antes de ingressar no Sporting da Covilhã na época 1998/1999. Lukiau jogava preferencialmente a extremo esquerdo e ajudou o clube serrano a conquistar a subida à 2ª Divisão de Honra na única temporada em que jogou com o nosso símbolo, resultante do 1º lugar alcançado na Zona Centro da 2ª Divisão B, após uma disputa interessante com o Lourinhanense. Na Taça de Portugal, Lukiau e colegas eliminaram Esmoriz e Varzim, sendo afastados da prova pelo primodivisionário Salgueiros no Estádio José Santos Pinto. Lukiau não permaneceu na equipa covilhanense para a época seguinte, rumando ao norte do país para jogar no Ermesinde, que na altura militava na 2ª Divisão B. Que recordações existem das arrancadas de Lukiau na ala esquerda?

Actualizado em Terça, 02 Maio 2017 09:10
 
SC Covilhã 2 Gil Vicente FC 1
Domingo, 30 Abril 2017 00:00

Medarious festeja o segundo golo serrano

Terceira vitória consecutiva do Sporting Clube da Covilhã na Ledman LigaPro, desta vez sobre o Gil Vicente Futebol Clube por 2-1, o que garante praticamente a manutenção neste escalão do futebol nacional, visto que a liguilha ficou agora a oito pontos de diferença, quando faltam disputar somente três jornadas para a conclusão do campeonato.

O conjunto covilhanense apresentou-se em campo num esquema de 1x4x2x3x1, com Igor Rodrigues na baliza, acompanhado na defensiva por Mike, Zarabi, Zé Pedro e Marcílio, ficando Djikiné e Gilberto mais recuados no meio campo, com Harramiz, Chaby e Medarious no apoio ao avançado Erivelto. Esta partida teve um início muito interessante, com ambas as equipas a revelarem uma postura atacante, tendo pertencido o primeiro sinal de perigo ao emblema de Barcelos, quando aos 4 minutos, após um canto na direita, Paulinho cabeceou por cima em posição privilegiada para marcar. Mais eficaz apresentou-se a formação local, que alcançou dois golos em pouco tempo: aos 7 minutos, na sequência de um canto apontado por Gilberto na esquerda, o guardião Vozinha sacudiu a bola para o cabeceamento triunfal de Zarabi; e no minuto seguinte, Chaby progrediu pela direita e cruzou para Erivelto, que trabalhou bem a redonda na área e assitiu Medarious para o remate certeiro. O Gil Vicente não demorou a reagir aos tentos sofridos e Avto atirou para uma intervenção atenta de Igor Rodrigues, mas a grande oportunidade para os nortenhos festejarem aconteceu aos 23 minutos, em que Hugo Firmino rematou ao lado em plena área adversária. As intenções gilistas sofreram uma forte contrariedade aos 34 minutos, pois, Calu derrubou Medarious quando o extremo ganês seguia isolado para a área opositora, sendo punido com o cartão vermelho directo pelo árbitro António Nobre. No entanto, diga-se que mesmo em inferioridade numérica, os visitantes continuaram com uma atitude ambiciosa e obrigaram a defensiva serrana a ser consistente para não permitir maiores problemas para o guarda-redes Igor Rodrigues. Ao intervalo: 2-0.

Erivelto pressionado por Pedro Lemos

Na segunda parte, o Gil Vicente voltou a incomodar os covilhanenses logo nos momentos iniciais, agora com um "chapéu" longínquo de Paulinho que não passou muito longe das redes locais. A resposta serrana também foi perigosa, visto que um cabeceamento de Harramiz fez a bola rondar a baliza nortenha, após um cruzamento de Erivelto. Com o jogo quase sempre disputado a grande velocidade, um novo golo acabou mesmo por acontecer aos 59 minutos, quando Medarious derrubou Avto na área serrana, originando um pontapé de penálti que foi devidamente concretizado pelo goleador Paulinho, o que colocou o resultado em 2-1. O conjunto barcelense acreditou que podia não sair derrotado de terras covilhanenses, pressionando bastante um adversário incapaz de beneficiar da superioridade numérica, só que pela frente encontrou o guardião Igor Rodrigues, que rubricou duas boas defesas para impedir o êxito das acções de Paulinho. Já os comandados de Filipe Gouveia, apenas voltaram a criar um lance perigoso aos 78 minutos, com Zé Pedro a cabecear ao lado na sequência de um canto. E foi também após um canto que o empate pairou no Estádio José Santos Pinto aos 80 minutos, visto que o cabeceamento de Paulinho passou a escassos centímetros do poste da baliza local e com Aguinaldo a surgir ligeiramente atrasado para corrigir a direcção da bola. Nos derradeiros instantes, o encontro perdeu algum ritmo, o que ajudou a formação covilhanense a controlar o resultado e a garantir os três pontos que possibilitam a praticamente a permanência na Ledman LigaPro. Na próxima jornada, o Sporting da Covilhã desloca-se ao terreno do Leixões, uma das equipas envolvidas na luta pela fuga à descida de divisão.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20162017/ledmanligapro/39/6

Actualizado em Terça, 02 Maio 2017 09:10
 
Denilson
Terça, 25 Abril 2017 00:00

O brasileiro Denilson entrou no futebol português através do Vilaverdense, mas depressa rumou ao SC Braga para actuar na sua equipa B, embora ainda tenha realizado um jogo pela formação principal dos minhotos na 1ª Divisão Nacional. Denilson representou depois o Freamunde, tendo sido apresentado como reforço do Sporting da Covilhã para a temporada 2003/2004, com o nosso clube a disputar a 2ª Divisão de Honra, numa época que foi muito complicada para as cores serranas, visto que não escapou à despromoção. Denilson jogava em terrenos atacantes e foi opção como titular no início do campeonato, porém, foi perdendo protagonismo com o avançar da temporada, em que o emblema covilhanense ocupou desde bem cedo a última posição da tabela classificativa. A meio da época, Denilson transferiu-se para o Ribeira Brava, prosseguindo posteriormente a carreira na Lusitânia, no SC Espinho, no Varzim e no Feirense, actuando depois no campeonato chinês e no Brasil. Que outras memórias permanecem de Denilson?

Actualizado em Sexta, 26 Maio 2017 09:24
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 9 de 141
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1271928