História do Sporting Clube da Covilhã
Mário Lima
Terça, 15 Janeiro 2019 00:00

O brasileiro Mário Lima chegou a Portugal para jogar no meio campo do FC Barreirense, que na altura militava na 1ª Divisão Nacional, representando posteriormente FC Paços de Ferreira, FC Penafiel, Rio Ave FC, GD Bragança e USC Paredes, antes de assinar pelo Sporting da Covilhã para a época 1980/1981. Lima envergou a camisola serrana durante duas temporadas, em que assumiu papel de destaque no sector intermediário, tendo participado em 47 jogos oficiais e apontado seis golos, com o nosso clube a disputar a Zona Centro da 2ª Divisão Nacional. Lima ficou radicado em terras lusitanas e prosseguiu a carreira futebolística em diversos clubes do Norte do país, nomeadamente, Tirsense, Lousada, Barrosas e Cristelo. Que lembranças persistem das exibições de Lima no meio campo serrano?

 

Actualizado em Terça, 15 Janeiro 2019 09:54
 
CD Mafra 1 SC Covilhã 2
Domingo, 13 Janeiro 2019 00:00

Vitória por 1-2 do Sporting Clube da Covilhã na deslocação ao terreno do Clube Desportivo de Mafra, resultante fundamentalmente do excelente início de segunda parte, onde dois golos apontados pelo estreante Kukula proporcionaram uma vantagem importante no marcador.

O onze serrano apresentou-se no Parque Desportivo de Mafra com Vítor São Bento na baliza, acompanhado na defensiva por Tiago Moreira, Jaime Simões, Zarabi e Rafael Vieira, com o meio campo ocupado por Gilberto, Makouta e Mica Silva, ficando o ataque entregue a Adriano Castanheira, Diego Medeiros e Kukula. Este jogo teve uma fase inicial disputada principalmente no sector intermediário, com a bola a estar muito tempo longe de ambas as balizas, o que impossibilitou demasiados lances de verdadeiro perigo. Em toda a primeira parte apenas duas acções provocaram maior emoção junto dos espectadores: aos 8 minutos, na sequência de um livre lateral, Ventosa cabeceou para o desvio de Bruninho um pouco ao lado das redes serranas; e aos 24 minutos, Diego Medeiros surgiu em plena área local e atirou para a intervenção de um defensor adversário, que impediu a redonda de ir para a baliza do Mafra. Ao intervalo: 0-0.

No regresso dos balneários, os comandados de Filó estiveram em grande plano e alcançaram rapidamente uma vantagem de duas bolas no "placard": aos 49 minutos, e depois de por duas vezes o perigo ter rondado a baliza anfitriã, Zarabi sofreu falta na grande área e o árbitro João Pinho assinalou o respectivo pontapé de penálti, devidamente convertido em golo por Kukula; e aos 52 minutos, Kukula atirou cruzado para o fundo das redes locais, provocando nova explosão de alegria nos apoiantes covilhanenses em terras mafrenses. O Mafra reagiu de imediato e empurrou os serranos para a sua zona defensiva, no entanto, foram os visitantes que mais ameaçaram mexer no resultado em contra ataque, com o guardião Godinho a efectuar duas defesas atentas a remates de Kukula e Mica. Aos 81 minutos, o regressado Tiago Moreira progrediu pela direita e cruzou para o cabeceamento de Jean Batista por cima da baliza local, revelando um Covilhã confiante num triunfo, que somente foi colocado em causa a partir dos 89 minutos, altura em que Harramiz fixou o resultado em 1-2, o que trouxe alguma incerteza para os derradeiros momentos da partida. Porém, os três pontos acabaram mesmo por ir parar à contabilidade serrana, desejando-se que a recuperação classificativa possa continuar já na próxima jornada, desta vez com uma deslocação ao terreno do Académico de Viseu no domingo.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografia: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20182019/ledmanligapro/17/6

Actualizado em Segunda, 14 Janeiro 2019 10:10
 
Xinai
Terça, 08 Janeiro 2019 00:00

Jorge Miguel Fernandes Reis é conhecido nos meios futebolísticos por Xinai, um avançado que começou a carreira nas camadas jovens do Cariense, onde ascendeu ao patamar sénior e teve papel de destaque nas competições distritais, ao ponto de ser contratado pelo Sporting da Covilhã para a temporada 1993/1994. Essa época não correu nada bem ao emblema serrano, nem a Xinai, que foi pouco utilizado na Zona Centro da 2ª Divisão B e nem chegou a concluir a temporada, com o nosso clube a frequentar desde cedo os últimos lugares da classificação, não conseguindo assegurar a manutenção neste escalão. Depois do conjunto covilhanense, Xinai representou diversas formações da Beira Interior, concretamente, UD Belmonte, UD Cariense, CU Idanhense, Mileu-Guarda SC, GD Teixosense, Pedrógão de São Pedro e SC Gonçalense. Que memórias ficaram de Xinai com o emblema covilhanense?  


Actualizado em Terça, 08 Janeiro 2019 09:42
 
Leixões SC 1 SC Covilhã 0
Domingo, 06 Janeiro 2019 00:00

Em Dia de Reis, o Sporting Clube da Covilhã deslocou-se ao terreno do Leixões Sport Clube e foi derrotado por 1-0, com o golo a ser consentido em cima dos 90 minutos, impedindo assim a conquista de um ponto precioso para a luta pela manutenção na Ledman LigaPro.

O Estádio do Mar recebeu uma partida que foi dominada pela formação local quase desde do apito inicial do árbitro André Narciso, no entanto, registe-se que essa supremacia não teve reflexo em lances perigosos, visto que a defensiva serrana esteve em bom plano e não deixou o guardião Vítor São Bento passar por grandes dificuldades. O conjunto covilhanense esteve mais virado para as tarefas na defesa da sua baliza, sendo raras as iniciativas atacantes, parecendo existir uma aposta na manutenção do nulo, o que foi conseguido na primeira parte. Ao intervalo: 0-0.

No segundo tempo, o Leixões, que estreava o treinador Casquilha, continuou a pressionar em busca do triunfo e agora com ameaças mais sérias às redes visitantes, delineando pelo menos quatro jogadas em que o tento inaugural esteve quase a ser uma realidade, mas a atenção de São Bento e a falta de pontaria dos locais foi prolongando a igualdade no marcador. E quando o nulo já estava a ser comentado como desfecho do jogo, eis que aos 90 minutos aconteceu o golo tão procurado pela equipa de Matosinhos, com o defesa central Matheus Costa a cabecear com sucesso o canto apontado por Derick. Não houve tempo para a reacção dos pupilos de Filó, com o Sporting da Covilhã a somar um desaire que origina nova queda nos lugares de despromoção, seguindo-se outra partida fora de casa no próximo domingo, agora no terreno do Mafra.

Texto: Eugénio Lopes.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20182019/ledmanligapro/15/8

Actualizado em Domingo, 06 Janeiro 2019 20:50
 
SC Covilhã 1 SC Braga B 0
Quarta, 02 Janeiro 2019 00:00

Makouta apontou o único golo do jogo

Boa entrada do Sporting Clube da Covilhã em 2019 ao alcançar uma vitória por 1-0 sobre a equipa B do Sporting Clube de Braga, sentindo a alegria que andou afastada nos seis jogos anteriores da Ledman LigaPro, com a motivação adicional de ter deixado a indesejada "lanterna vermelha" da classificação e igualado pontualmente o seu opositor deste encontro.

A fase inicial desta partida revelou um conjunto bracarense com maior posse de bola, numa tentativa de empurrar os locais para terrenos mais recuados, mas sem conseguir lances de grande perigo, apesar de alguns remates e de pontapés de canto conquistados. Do outro lado, o onze covilhanense apresentou uma elevada taxa de sucesso na concretização, visto que inaugurou o marcador logo na primeira jogada problemática para o sector defensivo visitante, pois, aos 23 minutos, Adriano Castanheira progrediu pela esquerda e colocou a bola disponível para o remate certeiro do francês Makouta. Motivado pelo golo obtido, o Covilhã esteve em bom plano até ao período de descanso e ameaçou dilatar a diferença por duas vezes: aos 35 minutos, Bonani atirou por cima diante do guardião minhoto; e aos 39 minutos, Mica rematou para uma boa intervenção de Tiago Pereira, que assim garantiu a margem mínima para a etapa complementar. Ao intervalo: 1-0.

Kisley esteve perto de aumentar a vantagem serrana

Na segunda parte, o SC Braga B não demorou a demonstrar a sua intenção de chegar ao empate, porém, teve pela frente uma equipa serrana muito combativa e que poucas vezes permitiu que o perigo marcasse presença junto da baliza de Vítor São Bento, que ainda foi obrigado a duas defesas atentas. O encontro foi-se prolongando com estas características até ao derradeiro quarto de hora, mas depois disso foi o Covilhã a equipa que esteve mais perto de festejar, como por exemplo aos 82 minutos, em que Kisley não conseguiu bater Tiago Pereira em posição privilegiada para ser feliz. No entanto, a vantagem tangencial provocou um acréscimo de sofrimento nas hostes serranas nos instantes finais da partida, até porque o conjunto bracarense teve a seu favor alguns cantos, com a normal incerteza deste tipo de lance, contudo, a defensiva local continuou organizada e os três pontos foram mesmo contabilizados para as cores covilhanenses após o último apito do árbitro Luís Godinho. No próximo domingo, o Sporting da Covilhã desloca-se ao terreno do Leixões, desejando-se que possa continuar a sorrir neste início de ano.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20182019/ledmanligapro/14/6

Actualizado em Quinta, 03 Janeiro 2019 12:06
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 8 de 172
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1682428