História do Sporting Clube da Covilhã
Flávio Rodrigues
Terça, 08 Agosto 2017 00:00

O avançado brasileiro Flávio Rodrigues assinou pelo Sporting da Covilhã a meio da época 2003/2004, sendo proveniente do Bonsucesso FC, um emblema dos arredores do Rio de Janeiro. Flávio Rodrigues encontrou a formação serrana em situação muito complicada na tabela classificativa da 2ª Divisão de Honra, visto que segurava a “lanterna vermelha” já com atraso considerável em relação aos lugares de manutenção. Flávio Rodrigues foi suplente utilizado em seis partidas, apontando um golo na deslocação ao União da Madeira, que na altura valeu um ponto por ter fixado o resultado em 3-3, no entanto, o destino serrano estava traçado e a descida à 2ª Divisão B foi mesmo uma realidade, embora seja de realçar uma recta final de campeonato com mais pontuação, que valeu a fuga à última posição da classificação. A carreira de Flávio Rodrigues prosseguiu depois durante várias épocas nos escalões amadores do futebol italiano. Que recordações permanecem das exibições de Flávio Rodrigues com a camisola serrana?

Actualizado em Terça, 08 Agosto 2017 08:49
 
SC Covilhã 1 Sporting B 2
Domingo, 06 Agosto 2017 00:00

Makouta cercado por adversários

O Sporting Clube da Covilhã esteve perto de entrar com o pé direito na edição 2017/2018 da Ledman LigaPro, mas dois golos da equipa B do Sporting Clube de Portugal na parte final do encontro fizeram com que os três fossem conquistados pelo emblema de Lisboa, visto que viraram um resultado que era favorável aos locais devido ao tento apontado por Bilel aos 60 minutos.

O conjunto serrano apresentou-se em campo num esquema de 1x4x2x3x1, com Igor Rodrigues na baliza, acompanhado na defensiva por João Dias, Gerson, Joel e Reinildo, ficando Gilberto e Makouta mais recuados no meio campo, com Renato Reis, Bilel e Fatai no apoio ao avançado Adul Seidi. A fase inicial da partida caracterizou-se pelo equilíbrio, embora com os covilhanenses a revelarem maior tendência para rematar, em concreto para cabecear, pois, foi desta forma que Adul Seidi teve algum protagonismo em dois lances: aos 11 minutos, cabeceou por cima na sequência de um canto; e aos 18 minutos, o gesto de cabeça foi certeiro, só que estava em posição irregular devidamente assinalada pela arbitragem liderada por Sérgio Piscarreta. Do lado visitante, apenas uma jogada causou alguma preocupação nas hostes caseiras, quando aos 29 minutos, o guardião Igor Rodrigues interpretou mal o lance e permitiu o remate de Ponde às malhas laterais da baliza serrana. No último quarto de hora da primeira parte, o Covilhã foi claramente superior ao adversário e por duas vezes ameaçou inaugurar a contagem, quer por Fatai, que atirou para intervenção do guarda-redes Stojkovic, quer por Adul Seidi, que rematou por cima já na pequena área. Ao intervalo: 0-0.

Gilberto pressionado por Bruno Paz

Para o segundo tempo, o treinador Filipe Gouveia trocou Renato Reis por Índio e os serranos entraram muito bem no jogo, criando logo duas acções de perigo para as redes forasteiras: aos 51 minutos, Adul Seidi atirou rasteiro para uma defesa segura de Stojkovic; e aos 53 minutos, um longínquo remate de João Dias fez a bola passar muito perto da baliza lisboeta. Até que aos 60 minutos surgiu o tão procurado golo covilhanense, com Bilel a trabalhar bem a redonda na esquerda para um remate cruzado que bateu o guardião opositor, provocando os primeiros festejos no Complexo Desportivo. A resposta do Sporting B não se fez esperar, essencialmente devido à entrada de Rafael Leão no jogo, o que veio criar bastantes problemas à defensiva local, começando por um lance aos 70 minutos, em que concluiu uma boa jogada individual com um remate ao lado. O encontro estava num período entusiasmante, com lances perigosos junto das duas balizas, como mostra esta sequência: aos 74 minutos, Bilel rematou para defesa incompleta de Stojkovic, aparecendo ainda Kiki a evitar que a bola fosse mesmo para as redes forasteiras; aos 76 minutos, Igor Rodrigues esteve em grande plano ao defender ao travar a iniciativa de Rafael Leão e a respectiva recarga de Ponde; aos 79 minutos, Miguel Luís atirou ao lado em posição privilegiada para ter sucesso; e aos 83 minutos, num rápido contra ataque, Hudson permitiu uma boa intervenção de Stojkovic. Os instantes finais foram muito maus para as cores serranas, visto que dois golos adversários possibilitaram uma reviravolta no marcador: aos 86 minutos, Sualehe cruzou da esquerda para o cabeceamento eficaz de Pedro Delgado para o empate; e aos 90+1 minuto, após um primeiro remate de Rafael Leão, a bola sobrou para Miguel Luís atirar para o fundo das malhas locais e fixar o resultado em 1-2. Os covilhanenses ainda procuraram a igualdade, até com o guardião Igor Rodrigues integrado num lance ofensivo, mas a derrota acabou por ser o desfecho desta partida para tristeza das hostes locais. O campeonato prossegue no próximo fim de semana, com o Sporting da Covilhã a deslocar-se aos Açores para jogar com o Santa Clara.

Texto: Eugénio Lopes.

Fotografias: Filipe Pinto - Foto Académica.

Ficha de Jogo: http://ligaportugal.pt/pt/liga/jogo/20172018/ledmanligapro/1/2

Actualizado em Segunda, 07 Agosto 2017 09:12
 
Livro "História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990" na RTP
Sexta, 04 Agosto 2017 09:01

O Site História do Sporting da Covilhã agradece ao programa da RTP 3 "A Grandiosa Enciclopédia do Ludopédio" e ao seu apresentador, Carlos Manuel Albuquerque, a referência que foi feita no dia 22 de Julho ao Livro "História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990"

 

Actualizado em Sexta, 04 Agosto 2017 09:09
 
Armindo Teto
Terça, 01 Agosto 2017 00:00

Armindo Teto iniciou a sua carreira de treinador no Estarreja, passando depois para o Oliveira do Bairro, de onde transitou para o Sporting da Covilhã no decorrer da época 1967/1968, comandando a equipa serrana a partir da 2ª jornada da Zona Norte da 2ª Divisão Nacional. Armindo Teto conseguiu colocar o nosso clube numa posição tranquila do escalão secundário, terminando o campeonato no 10º lugar, ao que juntou uma campanha interessante na Taça de Portugal, em que a formação covilhanense foi eliminada nos Oitavos de Final pelo FC Porto. No entanto, na temporada seguinte, Armindo Teto regressaria ao Oliveira do Bairro, mas por pouco tempo, visto que seria novamente contratado pelo Sporting da Covilhã para orientar a sua equipa a partir da 13ª jornada. Armindo Teto veio encontrar o conjunto serrano no último lugar da Zona Norte da 2ª Divisão Nacional, somente com três pontos conquistados, pelo que foi impossível de evitar a despromoção ao escalão terciário. Contudo, Armindo Teto permaneceu no emblema covilhanense para a época seguinte e esteve muito perto de garantir o regresso serrano à divisão secundária, pois, o despique com União de Coimbra e Alba pela promoção durou até à derradeira jornada do campeonato. A carreira de Armindo Teto prosseguiu posteriormente por Anadia, Beira-Mar (que chegou a treinar na 1ª Divisão Nacional) e Ala Arriba. Que outras lembranças existem do técnico Armindo Teto?

Actualizado em Terça, 01 Agosto 2017 08:58
 
Machado
Terça, 25 Julho 2017 00:00

Machado realizou todo o percurso das camadas jovens no Gondomar SC, onde também se estreou a nível sénior ao representar aquele emblema nortenho na Zona Norte da 2ª Divisão B. Machado rumou depois ao SC Rio Tinto, AD Lousada e FC Vizela, permanecendo neste último clube durante seis épocas, antes de ser apresentado como reforço do Sporting da Covilhã para a temporada 2009/2010. Machado afirmou-se como titular no lado esquerdo da defensiva serrana, ajudando o nosso clube a garantir a manutenção na 2ª Liga com uma boa dose de sofrimento, pois, a derrota no terreno do Varzim SC na última jornada deixou os covilhanenses com possibilidades de cair na zona de despromoção, mas como o Desportivo de Chaves não venceu o seu jogo foi a formação transmontana a descer de divisão. Machado participou ainda em partidas da Taça de Portugal e da Taça da Liga, totalizando 31 jogos oficiais com a camisola serrana na única época em que esteve ao serviço do Sporting da Covilhã. Machado regressou depois a equipas do norte do país, jogando por Boavista FC, SC Espinho e SC Rio Tinto, onde iniciou a carreira de treinador. Que memórias ficaram das arrancadas de Machado pelo flanco esquerdo?

Actualizado em Terça, 25 Julho 2017 08:50
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Pág. 5 de 141
Livro História SCC
.
fa

Livro História do Sporting Clube da Covilhã 1923-1990 disponível para aquisição na Foto Académica, localizada nas Escadas do Quebra Costas n.º 2 - Covilhã

ATLETAS
JOGADORES DE A a Z:
TREINADORES
OUTRAS FIGURAS
ENTREVISTAS
EVENTOS
CONTACTOS
OUTROS
REDES SOCIAIS

face

SPONSOR

Gigarte - Design e Comunicação

ESTATÍSTICA
Visualizações de conteúdos : 1273499